7 de jul de 2011

ANIVERSARIO DA MINHA DOCE PRINCESA DO SUL

Não sei por quantos lugares ja passei e muito menos quantos estao por vir, assim como não tenho noção de quantas coisas ja vi e vivi  e nao consigo imaginar o que me falta ver.Porém de tudo que passei eu guardo aqui no peito uma saudae enorme da minha doce cidade que hoje esta completando 199 anos!

Saudade daquelas largas ruas, do chimarrão com a familia em frente a casa!
Bate um desespero de pensar que aqui preciso de taxi, onibus, carro ou  moto...e la me bastam as pernas para ir onde preciso!

Lindas praças e maravilhosos prédios historicos que gravaram em minha mente as melhores fotografias da cidade!

EU TENHO ORGULHO DE SER PELOTENSE!!!!





Coroa da Cidade - constituída de 5 torres; identifica a cidade.
Espiga de Arroz - Representa a maior fonte de economia da região.
Índio - Remando em uma pelota de couro que deu o nome da cidade. Foi alterado, pois era um índio nadando e puxando a pelota.
Ramo de Louro - Assinala o aniversário da cidade.
Boi - Lembra as Charqueadas, origem de Pelotas.
Obelisco - Monumento erguido durante a Monarquia por Idealistas Republicanos. Marco inicial do povoamento da cidade.
Cruz de Malta - Homenagem aos portugueses Rosa - Símbolo da caridade do Patrono São Francisco de Paula.
Dentro da roseta, encontram-se as letras: S F D P C Caritas de São Francisco de Paula. O brasão foi feito em comemoração aos 150 anos de Pelotas, em 24 de outubro de 1961, por Artur Henrique Foerstnow.

Princesa do Sul como é apresentada aos quatro ventos, levou este titulo por ser considerada a cidade mais importante da província, de berço privilegiado, desde o cuidado no seu traçado, até seus mínimos detalhes arquitetônicos, ricamente trabalhados em moldes europeus.


HINO DE PELOTAS
Letra de: Hipólito Lucena
Música de: Romeu Tagnin


Salve salve Pelotas querida
Formosíssima Terra do Sul
Tens coberta de glórias a vida
Como é lindo o teu céu tão azul.

Não há terra, no mundo grandiosa
Que te iguale no esplêndido brilho
De Pelotas a Terra, formosa
Tenho orgulho, também de ser filho.

No teu seio aparece, fulgura
Alegria, instrução e valor
São Gonçalo baixinho murmura

A canção da saudade e do amor.
Hei de sempre Pelotas te amar
E trazer-te na minha memória
Aprendi no teu seio chorar
E a sorrir nos momentos de glória.

Meus avós te souberam amar
Com orgulho carinho e respeito
E a morrer, me fizeram herdar
Esse amor que conservo no peito.

Salve salve Pelotas querida
Formosíssima Terra do Sul
Tens coberta de glórias a vida
Como é lindo o teu céu tão azul.


__________________________


Eu venho lá de Pelotas
Joca Martins/ Rodrigo Bauer/Negrinho Martins


Eu trago a poeira do mundo
na sola das minhas botas
...Nasci pra ser viramundo
mas venho lá de Pelotas

Na estrada vivo cantando
mas quando a alma se esgota
por certo acabo voltando
pra me encontrar em Pelotas

Das embarcações de couro
veio o nome da Princesa
Uma querência de ouro
plantada na natureza

A velha aristocracia
do charque é veio ancestral
bronzeando a própria poesia
na Praia do Laranjal

Berço das lendas do Estado
e do seu próprio dialeto
Terra do filho extremado
João Simões Lopes Neto

Pelotas, onde a querência
...apeia do seu cavalo
e mata a sede de ausências
nas águas do São Gonçalo

Embora algum preconceito
que a cerca, sem fundamentos
Eu levo, dentro do peito
Pelotas aos quatro ventos

Se o preconceito perdura
e amarga a alma do encanto
respondo a tanta amargura
com o doce que há no meu canto

Venho de um solo abençoado
onde a cultura germina
desde as coxilhas, banhados
às praças, ruas e esquinas
Ando fazendo barulho
por essa pampa remota
e digo, com muito orgulho
Que venho lá de Pelotas!!!

__________________________


Pelota, bola em portugues. Era uma pequena embarcação feita de uma peça inteira de couro de gado, moldada em uma pedra arredondada, daí o nome. Servia pra o transporte de mulheres,crianças ou mantimentos nos rios da região,conduzida por homens,que a "rebocavam" a nado, numa corda presa aos dentes. Dessa embarcação, originou-se o nome da cidade de Pelotas.